quinta-feira, 28 de maio de 2009




PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DE UM TEXTO IRRECUSÁVEL

1. Criatividade.
“É o modo de estar no qual somos capazes de produzir de maneira inovadora.”

• para não ficar na mediocridade
• para não plagiar obras e Ter originalidade
• para não ser simplista
• para não cair na obviedade
• para ser relevante

“Ela é resultante da inspiração somada à atividade criativa.”

2. Inspiração
“A inspiração não é propriamente o ato criador. Na verdade, ela vem antes disso. O estado inspirativo é uma condição de sensibilidade àquilo que se passa dentro de nós mesmos e no universo do qual nos acercamos. São essas impressões captadas que estimulam nosso raciocínio à atividade criativa.”

Duas classes distintas:

a) Inspiração espontânea

É involuntária, acontece ao acaso, sem que tenhamos planejado entrar nesse estado. Há pessoas mais suscetíveis ao mundo das idéias. No entanto, qualquer um pode tornar-se sensível às idéias. Basta:

• aprender a silenciar o burburinho de preocupações que ocupa completamente as idéias do homem moderno (silêncio interior).
• Fugir do alvoroço cotidiano. A chave para isso é dedicarmos momentos específicos a práticas mais tranqüilas (silêncio exterior).

Como cultivar uma vida mais suscetível à inspiração espontânea:

– viver a devoção cristã com regularidade.
– ser senhor e não escravo do tempo.
– criar hábitos alimentares saudáveis.
– expor a mente a boas influências.

b) Inspiração induzida
Através do estabelecimento de condições externas que propiciem a sensibilidade criativa. Um escritor não pode depender apenas de estados espontâneos para produzir; pois precisa cercar-se de circunstâncias específicas que o torne sensível.

Medidas a serem tomadas:

– constituir um ambiente de trabalho personalizado.
– Assumir hábitos relaxantes que ofereçam descanso para o intelecto.

3. Atividade criativa

“É o trabalho de interpretar as sensações captadas pela inspiração e traduzi-las em idéias.”

a) Identificação do problema.

É identificação da grande questão que existe dentro de um determinado tema e precisa ser respondida.
Exemplo: oração
Pergunta: Qual é o maior problema existente dentro do universo da oração?
Resposta: A dificuldade que as pessoas têm de praticá-la.
A grande questão: Como vencer os empecilhos à prática da oração?
A questão pode ser a temática de um livro.
Tarefa: Identificar a grande questão.

b) Preparação.

Acumular todas as informações possíveis sobre o problema da grande questão.
Reunir o máximo de conhecimento a fim de, posteriormente, tirar a qualidade da quantidade.
Tarefa: Definir a temática.

c) Incubação

Deixar que as informações obtidas “descansem” em nosso interior.
Precisamos de resignação para que os dados coletados na pesquisa “assentem” em nosso intelecto até que estejam prontos e brotem em novas idéias.
Tarefa: Compreender seus diferentes aspectos.

d) Aquecimento

Todas as informações recolhidas ainda estão desordenadas, mas caminham para a solução.
É o estágio em que os ingredientes da criatividade “estão no forno”.
- comparamos dados
- criamos hipóteses
- consideramos implicações
- avaliamos possibilidades
- rejeitamos os preconceitos que trazíamos e registramos novas idéias
Tarefa: Descobrir a resposta que será oferecida.

e) Iluminação

É o “heureca”, o “insight”, o momento em que surge a idéia mestra que conduzirá a todas as soluções. É o instante em que se descobre o argumento principal, o raciocínio que vai nortear todo o trabalho. É simples. Mas não é mágico. É fruto de um processo.
É possível explorar o mundo intelectual até o ponto de apresentarmos ao nosso público o melhor. Essa postura é um dos principais fatores que diferenciam o bom escritor do medíocre e o afastam definitivamente do ruim.
Tarefa: Estabelecer o argumento pelo qual o assunto será abordado.

f) Elaboração

Consiste na tarefa de organizar o trabalho no formato de projeto literário.
Formato básico do projeto literário:
Três diretrizes básicas:

- Introdução.
- Desenvolvimento.
- Conclusão.

Tarefa: Construir o rascunho da obra a ser produzida.

g) Verificação

Avaliamos a importância e o custo do projeto que desenvolvemos antes de investirmos algum recurso para executá-lo.
Tarefas:
Verificar:
a) Os elementos constantes do projeto.

Existe uma temática relevante a ser tratada?
Possuímos um bom argumento? Possuímos uma boa resposta? b) A aceitação do projeto junto ao público.
c) A opinião de um editor sobre o projeto.
d) Custo do projeto.

4. Ferramentas da criatividade.

4.1. Posturas criativas.
Consistem basicamente em atitudes de quebra de resistência quanto ao novo. As idéias mais originais nascem, geralmente, do rompimento com o convencional, daquilo que foge da trivialidade.
a) Não julgar a idéia.
b) Não ter medo da crítica alheia.
c) Não ter preconceito em relação ao novo.
d) Não permitir a pressão do tempo.

4.2. Operações criativas.

São práticas de estímulo à criatividade.
Trata-se de técnicas operacionais que estabelecem procedimentos para a otimização do raciocínio inventivo.

4.2.1 Operações inspirativas
a) Utilizar todos os sentidos possíveis na relação com o objeto.
b) Utilizar a emotividade na relação com o objeto.
c) Utilizar a razão na relação com o objeto.

4.2.2 Operações de atividade criativa
a) enumeração.
b) Mote.
c) Mapeamento.

CONTEÚDO

A obra deve ter consistência, ou seja, ser livre de superficialidades e mesmices. Assuntos conhecidos devem ser tratados sempre de forma criativa.
• [MAX LUCADO]
• Mesmo em obras mais técnicas [STRONG]

O texto precisa ter um embasamento sólido, de maneira que ele seja confiável e útil ao leitor.
Os dados precisam ser verazes e os conceitos, válidos.

1. Plataforma.

Uma base firme de conhecimento para evitar a criação de um livro oco, vazio de conteúdo; ou ambíguo, repleto de lamentáveis equívocos.
É o lastro do autor, a base de conhecimento e experiência que ele tem de cada assunto que se propõe abordar.
A obtenção dos elementos para a construção de uma boa plataforma exige cuidado.

2. Garimpagem.

É o trabalho técnico de pesquisa para recolhimento de dados. É buscar preciosas informações para que o livro publicado venha ser uma obra rica em conteúdo.

2.1 Pesquisas:

a) Pesquisa bibliográfica.
b) Pesquisa de campo.
c) Pesquisa de laboratório.
d)

2.2. Atualização constante.

Os melhores pesquisadores são aqueles que se mantêm sempre inteirados do que acontece no mundo.
Se a idéia é a matéria-prima do processo criativo, a informação é o veio de onde a extraímos.
Escolhermos os veículos por conteúdo e qualidade editorial, para não nos perdemos em meio ao excesso de fonte.

2.3. Registro das informações
É o arquivamento, a catalogação de toda informação relevante.
A técnica mais tradicional de catálogo é a de fichas de apontamento.

COERÊNCIA DOUTRINÁRIA

No caso de uma editora confessional, a obra — qualquer que seja o gênero — não pode entrar em choque com as doutrinas.
Obras excelentes rejeitadas: comentários. Omitir é possível. Alterar o pensamento do autor é desonesto.
• Mesmo obras não teológicas devem estar de acordo com a doutrina que professamos. Os ganhadores do Prêmio Nobel não escreveram apenas belas histórias. São carregadas de conteúdo político e social. Há sempre uma ideologia, uma crítica ou um retrato social no enredo, nas cenas e nas personagens. A mesma coisa vale para nós.
• Os livros mais leves não necessitam de tanto significado, mas também não podem ser contraditórios ao pensamento da igreja.

INTERESSE DA EDITORA

O assunto deve preencher lacunas ou atender à proposta da editora.

MERCADO

A obra deve atender às necessidades do mercado evangélico.

Pr. Marcos Tuler
e-mail: prof.marcostuler@faecad.com.br
Site: www.prmarcostuler.blogspot.com
Tels: (21) 3015-1000/9991-9952

4 comentários:

Danilo Fernandes disse...

Bom Dia Pastor Marcos!

Vi seu link no blog de um amigo e vim conhecer. Gostei muito. Vou segui-lo. Aproveito para apresentar o meu blog o Genizah e recomendar uma visita.

Tudo de bom!

Em Cristo,

Danilo

http://genizah-virtual.blogspot.com/

André Quirino disse...

Prezado pastor Marcos Tuler, a paz do Senhor!

Com certeza esse texto será muito proveitoso para nós, que iniciamos na prática da escrita. Que Deus continue lhe abençoando.

Abraço!

edilza melo disse...

Prezado pr. como fiquei feliz em saber que o sr. estará conosco na EBO do Recife.Meu esposo e a minha esposa agurdamos asiosamente este rico momento de apredizagem.Paz do Senhor!

edilza melo disse...

Prezado pr. eu e meu esposo ficamos felizes em saber que o sr. estará ministrando na EBO do Recife.Aguardamos ansiosamente a sua vinda .Temos certeza que será uma benção para nós!Paz do Senhor!