segunda-feira, 22 de outubro de 2007


Prédio original da primeira Escola Dominical, fundada por Raikes, 1780, Gloucester, Inglaterra. (St. Mary de Crypt, Gloucester, England).
CONQUISTANDO UM PADRÃO DE EXCELÊNCIA PARA A ESCOLA DOMINICAL

Pr. Marcos Tuler

INTRODUÇÃO

O principal objetivo de todos os que amam e se esmeram no laborioso ministério de ensino na igreja é que suas escolas dominicais cresçam e se desenvolvam em todos os âmbitos, aspectos e sentidos. Porém, para que esse objetivo seja de fato alcançado é imprescindível que se faça um sério e eficiente planejamento. Nenhuma Escola Dominical crescerá de verdade sem um cuidadoso e detalhado plano de ação e expansão.
Nesse afã, muitos questionamentos deverão ser feitos pelos líderes da ED: Quais as causas do insucesso da Escola Dominical? Quais as causas da constante evasão de alunos? O que fazer para criar novos departamentos ou ampliar os já existentes? A quantidade de alunos em cada classe está dentro dos padrões ideais? O que fazer para desdobrar as classes, tornando-as interessantes e participativas? Como arranjar espaços adequados para as salas de aula? Como redimensionar os espaços existentes? Como administrar os recursos financeiros, técnicos e humanos em benefício da Escola Dominical? Enfim, como conquistar um padrão de excelência para a Escola Dominical?

I. MEDIANTE UMA EFICIENTE ADMINISTRAÇÃO

1. A administração só será eficiente se houver organização.
Organização lembra ordem, método de trabalho, estrutura, conformação, planejamento, preparo, definição de objetivos.
“Uma vez que a ordem permeia o universo de Deus, temos base para crer que o céu é lugar de perfeita ordem. Leis preciosas e infalíveis regulam e controlam toda a natureza, desde o minúsculo átomo até os maiores corpos celestes.” (Manual da Escola Dominical, Antonio Gilberto). O crescimento sem ordem é aparente e infrutífero.
a) Deus é um ser organizado. Planejou a criação; a nossa redenção; a ordem das tribos; o tabernáculo; a multiplicação dos pães, etc.
A organização na Escola Dominical é extremamente necessária. Deverá estar presente em cada fase do trabalho: no planejamento, na execução do plano, e na avaliação dos resultados. A organização da ED deve ser simples e funcional; de acordo com a realidade de cada igreja.
b) Razões para a organização. Dividir e fixar responsabilidades; esclarecer os limites do trabalho a ser realizado; atender as necessidades das pessoas envolvidas; garantir resultados satisfatórios.

II. MEDIANTE UM PLANO DE CRESCIMENTO

A Escola Dominical deve crescer tanto em quantidade quanto em qualidade. As escolas que estão sempre crescendo numericamente, geralmente são as que mais se preocupam com a melhoria da qualidade de ensino. Quais os passos necessários para que a Escola Dominical cresça?

1. Localize o povo. Os líderes da ED precisam saber onde se encontra a sua população alvo. É necessário saber quem são e onde estão os alunos em potencial a serem matriculadas na Escola Dominical. Onde está a fonte de novos alunos?
a) Lista de novos convertidos. Muitos se convertem e não voltam mais à igreja. Precisamos buscá-los! Os novos convertidos são como crianças recém-nascidas em Cristo; precisam ser recepcionados e identificados imediatamente após a conversão.
b) Relação de visitantes na escola e nos cultos da igreja.
c) O rol de membros da igreja.
O rol de membros é uma fonte quase inesgotável. Faça uma campanha com o lema “Cada crente um aluno”.
O número de matriculados na ED deverá ser maior que o número de crentes no rol de membros da igreja.
d) A comunidade ao redor da igreja. Faça um recenseamento. Já que o departamento crescerá, os administradores deverão pensar em que direção ele irá crescer.
Faça uma visita ás famílias e convide-as para visitar a Escola Dominical. (Organize uma classe para não crentes.)
2. Promova uma campanha contínua de matriculas. Existe uma ligação direta entre a matrícula e a presença na ED. Á medida que cresce a matrícula, cresce também a presença.
Para dobrar a freqüência na ED é necessário dobrar a matrícula. (Geralmente, o número de alunos que freqüentam a ED assiduamente, corresponde a metade do número de alunos matriculados.)
a) Que plano de matrícula a sua igreja usa?

Plano de matrícula contrário ao crescimento

· Exigência de um novo aluno assistir à classe durante certo número de domingos seguidos, antes de ser matriculado.
· Desligar qualquer pessoa matriculada que não assista com regularidade à classe.

Motivos justos para desligamentos

Morte; transferência para outra igreja; mudança de residência que impossibilite a assistência à escola; um pedido insistente da parte do próprio aluno.

b) Quando se deve matricular um novo aluno?

Imediatamente, se for esse o desejo dele. Não se deve pôr obstáculos para a efetivação da matrícula.

3. Elabore um programa de visitação. A visitação visa encorajar os alunos ausentes, e reintegrá-los à vida cristã. (Todo Domingo, cada classe deve preparar uma lista de alunos ausentes e determinar quem da classe os visitará durante a semana.)

4. Amplie as estruturas. Criar novos departamentos, novas classes.

5. Providencie espaço adequado. Não adianta pensar em matricular novos alunos, em formar novas classes, se não existe espaço para a nova classe funcionar. Este é um dos principais problemas que explicam o pouco crescimento na maioria das Escolas Dominicais.
a) Redimensionar o espaço que já possui na igreja. Um estudo criterioso apontará o espaço não usado ou mal usado.
b) Aproveitar o espaço existente nas casas próximas à igreja ou em escolas públicas ou particulares.
c) Realizar a Escola Dominical em dois turnos.
Algumas igrejas realizam duas Escolas Dominicais: uma pela manhã e outra à tarde. Os colégios fazem isto; porque não a igreja?
d) Ampliar a construção. A igreja que constrói espaço suficiente para a sua ED tem espaço para todas as suas necessidades.

III. MEDIANTE A ADOÇÃO DE MÉTODOS CRIATIVOS

1. Exposição oral.
Aula expositiva ou preleção. Método tradicional usado freqüentemente em escolas de todos os níveis. O professor colocado diante do grupo expõe oralmente a matéria, falando ele só o tempo todo. É o método mais criticado, mas também o mais utilizado. O êxito ou fracasso no seu emprego dependerá da habilidade do professor.
2. Perguntas e respostas. É largamente utilizado por ensinadores experientes, desde os dias da antigüidade. A eficácia deste método reside no fato de que as perguntas sempre são desafiadoras. A mente, neste caso, não apenas recebe informação, mas a analisa e pondera. Existe todo um processo de reflexão, analise e avaliação que ocorre no cérebro do aluno, enquanto ele recebe a pergunta, medita nas suas implicações e verbaliza a resposta.
3. Discussão ou debate. O método de discussão ou debate é aquele em que um assunto ou tópico da lição é colocado para ser discutido entre os membros do grupo.
4. Técnicas de trabalho em grupo. Por maior que seja o entusiasmo do professor em incentivar a participação ativa dos alunos, seu sucesso vai depender em última instância de saber organizar atividades que facilitem esta participação. Aí é que entram as técnicas de trabalho em grupo. Eis algumas: phillips 66; díade; grupos simples com tarefa única; tempestade cerebral; pergunta circular; grupos de verbalização e de observação; painel; estudos de casos etc.

IV. MEDIANTE O APOIO IRRESTRITO DO LÍDER DA IGREJA

1. Comparecendo e participando.

2. Estimulando (A importância do estudo da Bíblia).

3. Incentivando seus auxiliares do ministério e líderes de Departamento.

4. Investindo na Escola Dominical.
a) Recursos financeiros. Deve a igreja destinar uma verba regular a fim de que a Escola Dominical possa funcionar sem atropelos e improvisações.
b) Recursos humanos. Compreende a reciclagem periódica do superintendente e professores.
c) Recursos Técnicos. Aquisição de material didático, mobílias adequadas e salas pedagogicamente planejadas.

Comportamento negativo

Permitir atividades paralelas à Escola Dominical (Atividades administrativas, tesouraria, serviço de som, afinação de instrumentos musicais, aconselhamento pastoral)

Não investir, ou investir insuficientemente na área de educação.

A principal parcela do orçamento da igreja sempre é dirigida a outras áreas em detrimento da educacional.

CONCLUSÃO

Todo o trabalho da Escola Dominical deve passar por uma avaliação periódica. Deve-se objetivar o padrão de excelência. Como buscar o padrão de excelência? Comparando o presente progresso (os resultados) com os alvos e objetivos previstos. A partir daí, você vai descobrir a possibilidade de melhorar e aperfeiçoar.

10 comentários:

Ceris disse...

OLá parabéns pelo seu trabalho, seus escritos me anima para um trabalho dinâmico e participativo, Deus te abençoe sempre. Estive em Cacoal e gostei muito.
Paz

Marcos disse...

Muito obrigado irmã Ceris por suas palavras de incentivo. Que Deus abençoe ricamente seu ministério de ensino.
Pr. Marcos Tuler

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene.

Prezado Pr. Marcos, em seu texto o caro blogueiro escreveu a respeito da necessidade de matrículas contínuas. Pergunto: "As igrejas que não fazem matrículas, ou mesmo não usam registros de alunos por classe prejudicam-se quanto ao crescimento quantitativo da ED?".

Um abraço
Esdas Bentho

www.teologiaegraca.blogspot.com

Marcos disse...

Caro professor Esdras, penso que as igrejas que não trabalham com matrículas não possuem referenciais para saber se estão crescendo ou não quantitativamente. As matrículas são referenciais muito importantes. Se enchermos uma vasília com água até transbordar e, depois de transbordar, continuarmos colocando água, manteremos esta vasília cheia o tempo todo.
Muito obrigado por sua participação.

Pr. Marcos Tuler

Ceris disse...

Pastor concordo com o senhor quando diz sobre a reciclagem de professores e coordenadores da EBD, porém por favor me aconselhe sobre o que fazer quando existe professores na escola que não desempenham o seu papel com temor e responsabilidade: faltam sem avisar, chegar atrasados, não se preparam adequadamente para dar aula :( Os demais irmãos que poderiam assumir a classe, não aceitam, 'não querem compromisso'...hum o que fazer diante deste problema?

Ficarei feliz por seu conselho

Paz

fabiodcmello@yahoo.com.br disse...

Bem, ao se analisar essa exposição sistematica de conceitos pedagógicos, aplicados na ED, deve-se atender particularmente ao conceito de se criar um padrão de exelência para ED. A partir desse padrão, criado dentro do método de planejamento participativo, poderão ser tomadas as devidas iniciativas, não só a partir dos responsáveis pela educação de uma determinada comunidade de fé, mas sim de toda comunidade de fé.
Tomadas essas medidas as necessidades da igreja se tornarão mais evidentes, bem como suas preferências sobre a forma de ensino e as melhorias que poderão ser feitas a partir dos vários pontos de vista.

Fábio Dias da Cunha Mello.

Pastor Marcos Tuler disse...

Caro Esdras:

Errata: vasilha.

Pastor Marcos Tuler disse...

Cara irmã Ceris, isto é uma realidade.Infelizmente, muitos têm sido colocados à frente de uma classe apenas para remediar a situação. Estes não são educadores cristãos autênticos. Também é verdade que os que têm competência para o magistério, negligenciam esta nobre tarefa. É melhor contar com poucos, porém entusiasmados, apaixonados pela educação cristã relevante.

Pr. Marcos Tuler

ALTAIR GERMANO, disse...

Amado Marcos Tuler, gostaria de parabenizar a CPAD pela iniciativa de incluir os blogs dos autores em seu site.

Um abraço e a paz do Senhor!

fernanda disse...

A Escola Dominical dos sonhos...
Sonho com uma Escola dominical que realmente tenha compromisso com o aprendizado... que valorize o aluno,( principalmente as crianças) dando-lhes condições para o aprendizado; com instalações seguras e que possam proporcionar o mínimo de conforto...
classes que funcionem... com professores comprometidos com o alunado e que cada professor tenha a conciência que o irmão e a irmã vão a Escola Dominical para aprender do Senhor e não simplesmente ouvirem "causos"...
é Pr. Marcos Tullrt lendo os seus artigos vejo como a igreja que congrego está longe, da Escola dominical dos Sonhos... e Não pense o senhor que moro em um lugarzinho entre o nada e o coisa alguma, não... eu moro na capital do Estado da Bahia , e fico imaginando como está a escola dominical do interior do meu estado(O professor fingindo que ensina... e o aluno fingindo que aprende...)Ufa! é um dedabafo contra toda hipocrisia imposta pelos líderes... espirituais do meu estado!