sexta-feira, 18 de março de 2011

Qual a importância de um currículo para a Escola Dominical?



Por: Marcos Tuler

        É imprescindível a implementação de um currículo de educação cristã na Escola Dominical. Não há como educar eficazmente sem um programa que oriente a seleção dos conteúdos, os exercícios de fixação da aprendizagem, e as atividades escolares. Diga-se de passagem, todas as práticas e vivências educativas são organizadas a partir de um currículo previamente estabelecido. Sem ele tendemos à perda de propósito, tempo e eficácia; ficamos à mercê das entediantes rotina e improvisação.

O que é um currículo?

        Currículo é a soma dos resultados da aprendizagem planejada e alcançada por uma instituição de ensino. É um modo de organizar as práticas educativas. Pode-se também dizer que o currículo é a síntese dos conhecimentos e valores que caracterizam um processo social expresso pelo trabalho pedagógico desenvolvido no ambiente escolar. 
        Na prática, o currículo é um grupo de assuntos que constitui um curso de estudos, planejado e adaptado às idades e necessidades dos alunos. Enfim, é um meio educacional para atingir os objetivos de ensino.
  
O que é um currículo de Escola Dominical?

        Em termos simples, podemos dizer que o currículo de Escola Dominical é formado por um conjunto de dados, relativos à aprendizagem bíblico-teológica, organizado para orientar as atividades da ED, as formas de executá-las e suas finalidades. A concepção de currículo neste particular inclui desde os aspectos básicos que envolvem os fundamentos doutrinários e teológicos da educação cristã até os marcos teóricos e referenciais técnicos que a concretizam na sala de aula. Vejamos quais são as principais características de um currículo de Escola Dominical:

 Principais características de um currículo de Escola Dominical.

 Filosofia própria.

       Ninguém ensina em ambiente neutro. Por isso, todo currículo tem uma filosofia; uma ideologia. Há sempre uma abordagem específica para o ensino, que reflete um conjunto de suposições e pressuposições sobre a natureza e o propósito da educação.
      A educação cristã, por exemplo, firma-se em uma concepção bíblica da realidade, da verdade, e da moralidade, como base para seu conteúdo curricular e prática educativa.

 Abrangência.

        Reúne diversas matérias, atividades, vivências, recursos, formas de avaliação etc. Uma única matéria não pode ser chamada de currículo. Um determinado livro-texto ou revista de Escola Dominical não constituem um currículo. Há um sentido de progressividade e completude em relação às faixas etárias.
  
Harmonia e unidade.

      As matérias reunidas deverão ser ideologicamente orientadas. Todo currículo deve ter o sentido interdisciplinar. As matérias devem estar interligadas. Deverão visar à formação integral do aluno. 

 Encadeamento lógico.

      Há uma seqüência lógica, ou seja, os temas são encadeados, e não entrecortados.

Flexibilidade.

       Há a possibilidade de o professor reescrever o conteúdo curricular, adaptando-o à realidade, necessidades e expectativas de seu público-alvo.

Nenhum currículo é perfeito. Mas isso não significa que seja preciso mudar os fundamentos filosóficos e pedagógicos do currículo, ou mesmo substituí-lo. O professor poderá readaptá-lo e torná-lo plenamente aplicável à sua classe.

 Como funciona o currículo CPAD de Escola Dominical.

          Para cada fase de estudos há uma quantidade de informação (conteúdo didático) adequada à capacidade de assimilação e aproveitamento por parte do aluno. O conteúdo é dosado criteriosamente, de modo que ao atingir a idade adulta, o aluno conclua o curso bíblico elementar. O sistema funciona como numa escola secular. A partir dos primeiros meses de vida (berçário), a criança passa por todas as fases do programa, sem repetir nenhuma lição, desde que sua transferência para a classe da faixa etária seguinte seja feita corretamente, até chegar à faixa etária de jovens e adultos.
         Por exemplo: Após passar pela classe do Berçário e concluir o currículo de Maternal (3 e 4 anos), com oito revistas, o aluno recebe um certificado de conclusão, sendo transferido para a faixa etária seguinte, Jardim de Infância (4 e 5 anos), com 8 revistas. Daí em diante repete-se o processo, passando de uma faixa para a outra , até chegar a classe de jovens e adultos.

Se você tem maior interesse sobre o tema, favor solicitar mais informações pelo e-mail: prof.marcostuler@faecad.com.br

2 comentários:

Anônimo disse...

sou professora da ebd de adolescentes a 08 anos e já repetimos as mesmas revista, essas desse trimestre é a terceira vez que a estudamos, nem preciso comprar as revistas, porque já tenho elas o que muda é só a capa, o conteudo é o mesmo, é dificil a repetição, queremos curriculos como as das lições de adulto.

António Jesus Batalha disse...

Amigo e irmão Marco, passei e encontrei o seu blog e fiquei algum tempo a ler algumas coisas, me deixou maravilhado pelo que escreve, e ao ler suas postagens somos edificados. Gostei de poder encontrar alguém que ama Jesus, e pelo que li deu para notar que também ama o próximo. Que Jesus continue a derramar a Sua paz e unção sobre sua vida, deixo um convite se desejar fazer parte de meu blog eu ficaria radiante em ter pessoas assim como meus amigos virtuais, de seguida irei retribuir seguindo também seu blog. Obrigado que o amor de Jesus seja a cada dia consigo e com sua familia. António Batalha.